13 junho 2007

Floribellos

113

Fernanda e Catarina mereceram há meia dúzia de anos o epíteto de "Namoradinhas de Portugal" por serem belas, charmosas e... solteiras.
Até que casaram. Cada uma com o seu sapo encantado.

Para os românticos e solitários machos latinos, pior que a notícia do enlace, propagandeada aos quatro ventos pelas revistas cor-de-rosa, foi mesmo terem tido conhecimento que as princesas da tv tinham casado cada qual com o seu sapo encantado.

De facto, e este é um ponto de vista dos românticos e solitários machos latinos, os sapos João e Pedro Miguel, nada têm a ver com galãs da ordem dos Clooneys, Pitts e afins.
São gajos como os outros.
Pior, são gajos desgrenhados.

Mas havia algo a lamentar para além dos casamentos das divas com sapos encantados desgrenhados.
Princesas e sapos procriaram.

Pouco tempo passou, mas para mal dos pecados dos românticos e solitários machos latinos, o sapo João voltou a encenar uma peça na Catarina e o batráquio Pedro Miguel inaugurou mais um "Amo-te" na Fernanda.
Catarina-2 Fernanda-2.
Siga para prolongamento.

E afinal são sapos, perdão, gajos comuns. E desgrenhados.
E os homens já não se querem feios e a cheirar a cavalo.
Desde que não se chegue num piscar de eyeliner ao outro extremo.

O canal 1 da RTP transmite esta noite uma reportagem com o elucidativo título "Os Homens Querem-se Belos?"
Na peça, com duração de 15 minutos aproximadamente, poderemos ver homens a fazer depilação, máscaras faciais, massagens e até maquilhagem, como um pouquinho de sombra nos olhos, que fica a matar num marmanjo de um metro e 85cm.
Convenhamos que homens a usar lápis e batons é passar das marcas.

E tudo começou, uma vez mais, com mensagens subliminares veiculadas pelos media, que as senhoras foram interiorizando. Homens com pêlos passaram de moda. Rabioches machos passaram a objecto de admiração e desejo. E muito mais.

Hoje, se perguntarem a uma dessas adolescentes que delira com os "Morangos", que tipo de homem prefere, ela responderá mais ou menos isto:

"Moreno, cabelo mais ou menos comprido, extremamente atraente, olhos verdes, lábios carnudos, pouca ou nenhuma barba, ombros largos, mãos grandes e bem tratadas, peito musculado e sem pêlos que dê para agarrar e mordiscar os mamilos, bem dotado de pénis,rabinho rijo e bem torneado, pernas esculturais e sem pêlos."

Isto para mim não é gostar de homens. É gostar de travestis.
Voltem, sapos!
Estão perdoados!



7 comentários:

Miosotis disse...

Obrigada pela visita.
Hoje é um dia como outro qualquer...mais um ano como outro qualquer....
Cuidado!
Não gastes tantos beijos...poupa-te!
Fica bem.

Mad disse...

Apoio-te a 50%. Concordo que estes dondocos de agora deixam-nos sempre desconfiadas, mas também não havia paciência para os marialvas, na outra ponta da escala. E desses percebo eu, como boa ribatejana que sou. Não tem mal nenhum os homens cuidarem-se um bocadinho mais, mas não exageremos.
Boa, JP. Estamos contigo.

João Paulo Cardoso disse...

Miosotis:

Os beijos virtuais nunca se gastam.
E para provar isso, aqui vão mais 100 beijos.

João Paulo Cardoso disse...

Madalena:

Ainda bem que alguém entende o que escrevo.
Eu também entendo o que escreves no teu blog e gosto muito de te ler.

Beijos.

FL disse...

Ó JP...
Essa soa-me a indirecta (eu sou muito presunçosa!)
Mas atenta nisto, o João não só te respondeu, como ainda veio ao teu blog e comentou no meu (2x) que gostou!!!

Eu entendo o que tu escreves, não te entendo é a ti!

Mas não te gosto menos por isso.

Beijo (um cadito amuados ainda...)

João Paulo Cardoso disse...

Flora:

Ainda bem que continuas a vir aqui comentar!! Pensei que já não gostavas de mim!! Buáááá!!

(depois de muitos beicinhos e lenços de papel encharcados em lágrimas, resolvo recuperar alguma dignidade, para acrescentar mais umas linhas...)

Eu é que continuo amuado. Mas isto passa. Talvez um dia volte a comentar no teu blog.

Mas continuo a lê-lo.
Sempre.

Beijos.

FL disse...

Ó meu grandessissimo... tonto! (e olha que me ia saíndo pior!!!)

Estás amuado porquê?!? Arribar, arribar, que eu não tenho tempo para amuos.

Beijoca grande (não que mereças, mas vá...)