22 junho 2007

Cocktails de Verão - Caipirinha

12o

Parece que, no regresso do "Eldorado", há algumas semanas, depois de um período neuro-melancómico, tinha prometido, entre outros petiscos, receitas para deliciosos cocktails, a serem editas às sextas-feiras.

Pois bem, o Verão começou ontem e cá vai disto. Cocktails no "Eldorado"!!
Isto é que é serviço público! A menos que se embebedem ao ponto de baterem com os cornos numa árvore ou, pior, numa brigada de trânsito. Nesse caso, já não tenho nada a ver com isso.

E hoje servimos... CAIPIRINHA!!
Ladies and gentlemen, the bar is open!!

1. CAIPIRINHA

Origem: pouco se sabe, sobre as circunstâncias ou o local onde nasceu a bebida brasileira que maior sucesso faz no estrangeiro, ao ponto de já estar cotada na International Bartenders Association.
Acredita-se que o cocktail tenha nascido no interior do estado de S. Paulo, como remédio para a gripe. Assim, a bebida seria uma variação de uma mistela muito popular no estado, à base de limão galego, mel e alho.
Adoçar com mel, ou adicionando licor de laranja, como fazem em alguns bares de França, é considerado no Brasil um crime de lesa-pátria.

Ingredientes: 1 limão pequeno de casca fina; 2 colheres de chá de açúcar; uma dose de cachaça (ou aguardente).

Preparação: Retire as pontas do limão e corte em rodelas bem finas. Coloque o limão e o açúcar em um copo pequeno e com um pilão de madeira, macere apenas o centro da fruta, sem forçar a casca. Isso evita a libertação de muito ácido cítrico, contido no sumo da casca, que pode deixar a bebida amarga. Acrescente a cachaça, misture e complete com muito gelo.

Atenção: A autoridade para a consciência ética e moral do "Eldorado" adverte que se beber, não deve conduzir, mesmo que se chame Alberto João Jardim. Mais, adverte ainda que beber para esquecer pode levar a que saia do bar sem pagar. O que não é mau de todo, não fosse facílimo apanhar alguém que corre aos esses.

20 comentários:

FL disse...

Erro gravíssimo JP: caipirinha é feita com lima!!!!

Beijos

João Paulo Cardoso disse...

Flora:

Qualquer receita brasileira ( e foram eles que inventaram a coisa), refere explicitamente "limão".

É natural que em Portugal se utilize a lima.
Talvez a Madalena possa ajudar nesta.

Beijos e bom fim-de-semana.

Anónimo disse...

Erro gramatical: diz-se "the bar is open" uma vez que o pronoun "it" nao pode substituir o noun "bar"

E as variantes da Caipirinha?

nf

João Paulo Cardoso disse...

N.F:
Por acaso tinha escrito primeiro "the bar is open", mas depois fui mudar, o que não desculpa o erro...

Vou ali corrigir...

Já está, vês?

Variantes de caipirinha?
Não sei... primeiro há que publicar os clássicos...

Um abraço.

Miosotis disse...

Deixei um reply no post anterior.
Foi por engano, pois costumo ir sempre ao mais actual.
Mas gostava que o lesses s.f.f.
Obrigada.


NOTA:
Os brasileiros não têm o "nosso" limão, ou pelo menos nunca o vi por lá.Assim, eles designam a lima de limão. De facto a distinção entre lima e limão é nossa, pela diferença de características, porque o limão é um citrino tipicamente meridional e mediterrânico, enquanto a lima é um fruto tropical.
Tal como a laranja: a deles é completamente diferente da nossa nas suas características.
Penso eu de que....
Mas poderás aprofundar este assunto com quem de direito, muito embora eu também já lá tenha estado.
Desculpa esta pequena observação ao teu poste.
Ahhhh....e não faças caipirinha com aguardente da nossa, por muito boa que seja! Não fica igual!
Usa cachaça mesmo...Velho Barreiros ou Pirassununga 33.
Do best!!!

João Paulo Cardoso disse...

miosotis:

Vês, como comentas bem?
É mesmo isto que eu quero, pessoal:
Comentários ao que escrevo.
Simples.

Percebes agora, "Mio"?
Textos e comentários.
Simples.

Mais uma vez: Bom fim-de-semana, Miosotis e até qualquer dia.

av disse...

Sugestões para variantes de caipirinha: caipiroska, morangoska, caipiruva, mangoska, caipiranga, caipirola e mil outras mais com outros tantos nomes deliciosos, como só os brasileiros sabem inventar. Todas servem para beber e esquecer (ou lembrar, conforme o caso). Mas nenhuma, repito, nenhuma!, serve para correr depois. Nem aos esses.

av

N.M disse...

Uma caipirinha quando é bem feita é do...best!!!
Acho que a tua reune todas as condições para ser uma boa caipirinha...lol
Abraço e boa caipirinha

Mad disse...

Pronto, pronto... chegou a chefe para explicar!

O JP tem carradas razão, apesar de não saber porquê. Lima e limão são, como toda a gente sabe, frutos diferentes. Mas o limão brasileiro, apesar de ser pequeno, doce e verde como a lima, tem a casca grossa, ao contrário daquela, que quase não a tem. Os brasileiros distinguem claramente entre o limão "deles" e o nosso, a que chamam "limão siciliano".

Por outro lado, em Portugal deve usar-se lima, porque o nosso limãozão amarelo é ácido demais.

De resto, está perfeita a receita, mas eu dou carradas de razão à Miosótis, quanto a não usar aguardente. Nem pensar!!! Sugiro mais uma marca de cachaça, a popularíssima 51, mas digo já, quanto melhor fôr, melhor fica a caipirinha, como em qualquer receita.

Beijos a todos!

E agora, gostavam de ver uma certa "excritora" que eu conheço esparramejada numa rede e agarrada a uma garrafa de 51?

Hein?

Mad disse...

Esqueci-me de dizer que no Brasil também há lima, que é originária da India, assim como os côcos. E sabem quem trouxe os dois frutos para o Brasil? Nós, os portugueses, CLARO!!! O que era este país sem nós? Nem a sua imagem de marca - palmeiras à beira-mar - tinha!

João Paulo Cardoso disse...

mad:
Madalena, fazes-me lembrar um primo emigrado em Inglaterra... por oposição.

Ele, na maior parte das vezes, enaltece tudo o que a Inglaterra tem de bom, comparando com o que de pior Portugal tem.

Tu não esqueces o melhor de Portugal e comparas-o com o que de pior o Brasil tem.
Não te esqueças que foi o país que, bem ou mal te tem acolhido, e que, se mais não houver de bom, estás aí tu e o que de melhor Portugal tem, está aí contigo:

O teu núcleo familiar, a decoração do teu espaço, a tua escrita, as memórias e as saudades e, acima de tudo, a tua essência.

Beijos.

av disse...

mad: conta, conta... quem era a gaja? É que não faço ideeeeeia!

ana

João Paulo Cardoso disse...

n.n. e a.v.:

Bem-vindos então à Confraria da Caipirinha.

Vamos beber até ao sol nascer e escrever coisas à parva, como
"xuga ipno bugat bugat!!"

Mad disse...

JP, o Brasil NUNCA me acolheu. Pior: dá-me pontapés até hoje! Eu só aguento porque sou teimosa que nem um burro.
E a minha essência qualquer dia evapora-se, que ninguém é de ferro.
És sempre um querido. Obrigada.

av disse...

JP, obrigada pelo convite. Começaste a inventar palavras logo à primeira caipirinha? Esquece o "xuga ipno bugat", já inventaste uma melhor: COMPARAS-O.
Então, então, sr. jornalista??? Nem parece do Eldorado!

bjs
ana

João Paulo Cardoso disse...

A.V:

Peço imensa desculpa pelo erro ortográfico. Estou envergonhado.

E agora vou mesmo ruborizar:

Ann... como é que é a forma correcta?

Beijos.

Anónimo disse...

Compara-lo, João Paulo, compara-lo!!

L.

av disse...

Compara-lo, isso mesmo.
Mas volta que estás perdoado.
bjs
Ana

av disse...

Ah, e se encontrares algum erro no meu blog, também agradeço a correcção. Uns para os outros, e sempre a aprender.
bjs
Ana

Anónimo disse...

Olá meu pessoal de Portugal, estava vendo o comentário de vocês sobre a questão do limão para fazer uma boa caipirinha. Pois bem, para se fazer uma boa caipirinha, é recomendado usar o limão que chamamos de "taiti" limão taiti. (pequenos de casca fina e de color verde). Mas na falta deste, pode-se usar qualquer outro limão que fica gostosa igual.
Quanto a cachaça, discordo um pouco das marcas que foram mencionadas. Tem que ser cachaça de verdade, feitas em alambiques de cobre. As mencionada, são cachaças industrializadas e de pouca qualidade, feitas com componentes baratos para facilitar a comercialização, principalmente para o exterior, onde na maioria das vezes, não conhecem uma boa cachaça e de qualidade.
Quando conhecerem a verdadeira cachaça, jamais irão usar ou conumir estas outras encontradas no mercado.
Digo isto, porque sou produtor de cachaça artesanal no Brasil em Florianópolis-SC, onde também produzo uma caipirinha pronta para degustar, totalmente isenta de aditivos químicos.
Caso tenham interesse, em conhecer como identificar uma boa cachaça, entrem em contato comigo no endereço donabranca@oletelecom.com.br que estarei apostos para ajudá-los.
Abraços e beijos

Délcio