31 julho 2007

Regresso ao Passado - A Sexy Gata Borralheira

143

Era um Verão quente, ainda sem laivos de tropicalismo como os do início deste milénio. Estávamos em plenos anos 80 e "papai e mamãe", acorrentados à rotina, lufa-lufa e horários escrupulosos de duas multi-nacionais que já não têm fábricas em Portugal, contrataram uma jovem empregada para fazer umas limpezas lá em casa, pelo menos uma vez por semana.

Eu tinha 14 anos e entusiasmava-me cada vez mais com decotes e rabos de saias. Só que, paradigma dos adolescentes mais introvertidos, dedicava-me muito mais a intermináveis sessões onomásticas, do que aos imponderáveis engates junto do sexo oposto.
E assim, naqueles tempos em que o sangue fervia e se concentrava todo no mesmo sítio, as terças-feiras galoparam velozmente os degraus do ranking dos melhores dias da semana.

Nas terças à tarde, ficava sozinho em casa com a jovem empregada da limpeza. Era morena, tinha olhos castanhos e um corpo cheio de curvas, tantas como a sinuosidade atrevida do seu sorriso. Temperava as palavras com pimenta e canela, consoante queria ser mais provocadora ou mais doce e meiga.
Tinha 21 anos e ia casar daí a dois meses com um trolha sortudo, que iria levar aquele espectáculo de mulher para casa. Um autêntico Festrolha para o qual não estava convidado.

Não me lembro se limpava bem ou mal, nem sequer como se chamava, mas lembro-me que a presença dela era um autêntico pau de dois bicos. Literalmente.
Isto porque, depois de tanto falar dela, tinha deixado de ser o único vulcão pronto a explodir naquela ilha dos amores. O meu jovem primo Carlitos, absolutamente imberbe nos seus 11, 12 anos, mas disposto a ganhar asas e saltar todas as etapas de uma adolescência que só lhe atrasava o desejo de ser adulto, também por ali sobrevoava a flor que se adivinhava de pólen agridoce.

Nesses doces anos, um tal de Adam Curry apresentava um saudoso Countdown nas tardes do segundo canal e por ali passavam outras tentações da época como esta loura ou esta morena. E tal como entoava um jingle de então, o calor apertava e a sede despertava. Tanto que, na minha cabeça, ideias mais ousadas fervilharam, ao mesmo tempo que, mais abaixo, valores mais altos se levantaram.

Foi então que, com o calor como aliado, convenci a sexy gata borralheira a libertar-se de alguma roupa. E ela prescindiu do avental. Sorria evocando o pecado, enquanto eu engolia em seco. Consegui ainda balbuciar qualquer coisa sobre a sua camisa de algodão, como estava ali a mais, que não viria mal ao mundo se ela se pusesse à vontade e fizesse o seu trabalho de limpeza em soutien... E ela despiu a camisa.

Ouviram-se sinos em catedrais feitas de cristal! Fadas montadas em unicórnios prateados entoaram mantras eróticos! O sol, lá fora, piscava numa palete de neons!
E, num completo desprezo pela poética das coisas, o meu pirilau mordia as calças de ganga, ameçando ser livre, serpente voraz em busca da presa!
E ela? Ela exultava embriagada pelo seu poder de sedução e estava disposta a estender a mesa de jogo até lhe faltarem as peças. E era ela a jogar...

- E agora? É melhor tirar mais alguma coisa?

Não consegui articular uma sílaba, mas os braços finalmente responderam às ordens do cérebro e levantaram-se titubeantes...
Tocaram à campainha.
Ela precipitou-se para a camisa pendurada na cadeira.

- Espera!! Deixa-me ver quem é!!

Nervoso, com o coração a mil, amaldiçoava a minha má sorte, enquanto espreitava do 3º andar lá para baixo. Era o primo, claro. Um autêntico Peninha na vida de um Donald azarado.

- É o meu primo! - gritei para dentro de casa.

E quando entrei com ele, por incrível que pareça, ela continuava a mesma visão de sonho. Uma morena de soutien negro, espanador na mão, sorriso matreiro, olhar matador.

- O que é que ela está a fazer, só de soutien? - perguntou um Carlitos de olhos arregalados.

- Ann.. então, ummmm... é porque estava calor e ...

E não havia mais nada a dizer. A imagem da bela empregada desvanecia-se como miragem, embora continuasse ali, meio despida, sorridente, à espera das próximas jogadas.
Mas não aconteceu mais nada e como estava na hora dos meus pais chegarem, ela vestiu-se.
Foi a sua última terça-feira na minha casa.
No sábado seguinte ela casou e nunca mais a vi até hoje.

19 comentários:

Gal disse...

Só vc mesmo...
Quer me explicar porque a grande maioria dos homens, quando adolescentes (as vezes burros velhos), tem este fetiche com a empregada???
Não conheço uma só história diferente.
Bjuxxx.

FL disse...

Bom, então foi para escrever isto que saiste a correr lá do tasco! 'Tás desculpado, moço:)

E essas badalhocas da Samantha e da Sabrina também povoaram a minha adoslescência. Ou não tivesse eu um irmão da tua idade que achava que posters de meninas seminuas eram papel de parede;)

Quanto à empregada... tinha idade para ser nossa mãe. Já a filha, eram outros quinhentos, mas não vou devassar a intimidade da família aqui:)

Beijos

ana vidal disse...

JP,

O que é que estás a fazer no Pinhal Novo, dizes-me?
E quando é que leio um livro teu??
Um FESTROLHA, please!! Nem os Gatos têm tanta graça... apetecia-me levar este post inteirinho para a Porta do Vento. Posso?

ana

Susana disse...

Estou parva da vida, com o nome de um supremo líder espiritual da igreja católica e ainda, chefe do estado do Vaticano, vem revelar-se assim aos 14 anos.

Quanto à moçoila, deixa dizer-te que ela era sem dúvida uma mulher corajosa. Sim, porque essa visão do (e passo a citar), "meu pirilau mordia as calças de ganga, ameçando ser livre, serpente voraz em busca da presa", é de deixar qualquer uma em pânico.

Sim senhor, ao menos conheceste a lingerie com que o Sr. Trolha (sem confianças, respeito acima de tudo), privava.

Estou impressionada... Não entendo é porque ter motorista ou mordomo não é tão habitual, e ainda dizem que há igualdade entre sexos... Snifff

Beijos João

FL disse...

Perai... O primo Carlitos é quem eu estou a pensar?! Vulgo NF, aka JCC???

Eu bem que lhe andava a chamar garaganeiro há uns tempos!

Não haveras tu de ter traumas... com um empata fadas desses;)

Beijos

João Paulo Cardoso disse...

Gal:

Não faço parte dos homens que têm fantasias com empregadas, enfermeiras ou mulheres-polícia.
Simplesmente, era uma empregada que estava mais à mão.

Estava mais à mão, mas não a soube agarrar. O costume.

Resta-me continuar a fantasiar.
Não imagina com o quê.
Mas lá vai:
Envolve peixeiras gordas com mais de 75 anos.

Beijos.

João Paulo Cardoso disse...

Flora:

Diz-me que fantasiaste com a Samantha Fox, diz-me!
Diz-me mesmo que seja mentira!

Sorry...
Hoje estou ainda mais debochado do que o costume.

E sim.
O "Carlitos" é mesmo esse.

Mas ele nunca empatou coisa alguma.
Extasiado, enervado e ansioso, frente a frente com uma boazona de 21 anos em lingerie, eu não daria conta do recado.

Beijos.

João Paulo Cardoso disse...

Ana:

Eu bem envio Curriculuns Vitelas, mas parece que não há vaga para humoristas da província.

O caminho para o Eldorado é sinuoso, viscoso e sombrio.
Mas não desisto.
Embora implore por um empurrãozinho de quem tem conhecimentos no circuito de humor.

Livro?
Um dia, um dia...

Beijos e obrigado uma vez mais pelos elogios.

Manter-me-ei humilde.

UAU!! EU SOU BOM!!
EU SOU MUITO BOM!!

Humilde, Johnny!
Humilde!!

João Paulo Cardoso disse...

Susana:

Que piada teria um mordomo ou um motorista em lingerie?

Não sei se o "primo Carlitos" quer responder a esta...

Beijos.
Para a Susana, claro.

Para o "primo Carlitos" vai um abraço, mas ele ainda nem sequer apareceu para comentar.

Anónimo disse...

Isso porque tenho estado a tentar lembrar-me do episodio narrado.

Falhei miseravelmente :(

Nao sei o que me irrita mais: ter impedido a continuidade de tal voracidade animalesca ou nao me lembrar da senhora em questao.

Premio de compensacao: mando-te daqui duas peixeiras polacas de 55kgs. Pode ser? (Nao encontro nenhuma de 75kgs)

Um abraco pra ti tambem, "primo Paulinho". E para a proxima partilha as coisas boas da vida com a familia!

nf

João Paulo Cardoso disse...

Olá, rapaz.

Não te lembras da moreninha?
Paciência, ela também não se lembrará de ti.

Quanto a partilhar as coisas boas da vida,não chegou a haver nada para partilhar...

Mas também não esqueço as bolachas, os vídeos do Countdown, os filmes... ann... marotos, os livros de Walt Disney, aventuras na fazenda e um pouco por todo o lado...

Chega?

Agradeço as peixeiras e retribuo com dois nativos neo-zelandeses bem dotados.

Um abraço.

FL disse...

JP,

Parece mal eu vir para aqui dizer que fantasiei com quem quer que seja. Não fosse por isso, e até era menina para te fazer a vontade. Mas não te estiques.

Quanto às coisas boas da vida, os filmes marotos com o primo Carlitos, as aventuras na fazenda e o resto, uma exigência:
CONTA mais! ;-)

Beijos

Anónimo disse...

Don't you dare!

nf

Susana disse...

João por favor, tem dó que eu sou nova por aqui. Por isso mesmo ainda ando aos papéis a ver se me entendo. Mas, e peço desculpa se for equívoco, parece-me que essa pergunta do, "que interesse tem um motorista ou mordomo em lingerie", está um pouco desajustada. Tanta coisa com esse tal teu primo Carlitos, e ainda me perguntas a mim qual o interesse?
Caso eu não tenha percebido o ponto, passo a explicar: eu também gostava de ter um motorista ou melhor ainda, um mordomo a quem eu pudesse surgerir a retirada de algumas peças de roupa. Até porque se a coisa corresse para o torto, o culpado é sempre o mordomo...

Beijos

Anónimo disse...

"esse tal teu primo Carlitos"

Querem parar de se referir a mim como se eu nao lesse isto???

E ja agora, chamar Carlitos ha 20 anos atras ainda va que nao va. Chamar Carlitos a um marmanjao de 85Kgs quase nos entas ja nao tem la muita piada!

Alem disso soa a gay.

nf

Visão Caleidoscópica disse...

:))
Havia quem brincasse aos médicos e aos papás e mamãs com a primalhada toda....
Aiiii....os primos!!!
Oh raça!!!
E as primas?
Serpentes.....
:))
Fica bem.
Até mais....


PS: Os custos podem ser os de envio à cobrança via CTT. :))

FL disse...

Ó Carlitos (sorry, não resiti!)

Tu já estás quases no entas? E pesas 85 Kg? Só falta dizer que estás a ficar careca...

JP, tenho de concordar com o menino. Pára lá de lhe chamar Carlitos, soa a gay:)

Beijos

Susana disse...

Sr. Carlos, deixo desde já as minhas sinceras desculpas. 85 Kg de Carlitos é coisa para ser respeitada, é verdade...
Quanto a soar a gay, acho que até aí todos concordámos, eu achava era que a ideia fosse mesmo essa. Mas alguém me explica o que se passa aqui?

João???? Pões ordem nisto, ou não? Chiça. ;)

Anónimo disse...

Susana:

Desculpas aceites. Que nao se repita :)

Fl:

Nao te estiques. Nem todos conseguem enganar o tempo, ficando cada vez mais esbeltos e espadaudos como tu.

nf