06 julho 2007

Cocktails de Verão - Dry Martini

129

3. Dry Martini


Origem:Em 1910, ao balcão do Hotel Knickerbocker, o barman John Martini atendeu o pedido do magnata norte-americano John D. Rockfeller, que desejava algo simples, mas diferente.
E começa aí a discussão sobre a receita original do Dry Martini (a bebida mais clássica e pedida do mundo) : uma dose de gin e cinco gotas de vermute? Ou duas doses de gin e uma de vermute?
A polémica sobre a sua receita original é tão grande que, numa de suas passagens por Veneza e pelo conceituado Harry's Bar, o escritor norte-americano Ernest Hemingway lançou a frase: "Se algum dia você vier a perder-se na selva africana, não desespere. Sente-se sobre uma pedra e comece a preparar um Dry Martini. Em menos de cinco minutos vai aparecer alguém a dizer que as doses de gin e vermute estão erradas."
A maior fatia de fama do Dry Martini deverá, no entanto, ser atribuída a James Bond. O agente 007 ao serviço de Sua Majestade é um incondicional da bebida. A frase é célebre: "Stirred, not shaken", algo como "mexido, nunca agitado".

Ingredientes: Uma dose generosa de gin Gordon's ou Bombay.
Cinco gotas de vermute Noilly Pratt.
Limão.
Uma azeitona verde.
Gelo.

Preparação: Antes do mais, escolha uma taça de haste fina e rebordo delicado e deixe-a no congelador por alguns minutos.
Prepare o cocktail num copo misturador, o chamado mixin glass. Ponha entre quatro e seis pedras de gelo inteiras. Gele bem o copo e escorra o excesso de água.
Despeje sobre o gelo uma dose generosa de gin. Pingue sobre o gin cinco gotas de vermute. Com uma colher longa mexe a bebida com movimentos rápidos e vigorosos. Lembre-se: o cocktail é mexido, nunca batido.
Retire a taça do congelador e, usando um coador de bar, despeje a bebida na taça. O Dry martini é sempre servido sem o gelo.
Corte uma casca de limão, retirando com cuidado a polpa branca. Esprema de modo a que o sumo caia sobre a mistura. Passe a casca em todo o rebordo da taça. Espete uma azeitona cerde num palito e coloque no cocktail.
Já está.


Atenção: A autoridade para a consciência ética e moral do "Eldorado" adverte que se beber, não deve conduzir, mesmo que se chame Rui Veloso. Mais, adverte ainda que beber para esquecer pode levar a que não se lembre onde mora. O que não será mau de todo, caso tenha fugido da prisão nessa manhã.

8 comentários:

av disse...

De tudo isto só queria o Sean Connery...

N.M disse...

Gosto deste cocktail!!!!Muito bom....

P.S-Acho que a frase do bond é:""Shaken, not stirred" e não como tens no post!!!Confirma lá isso

João Paulo Cardoso disse...

A.V:

Pois...
Dizem que o Sean Connery pouco tem a ver com o Martini, sendo mais parecido com um velho e bom Whiskey...

Dizem as senhoras.
E algumas meninas que gostam de homens mais maduros.

Será o famoso charme dos cabelos brancos ou saudades do avô da Heidi?

Beijos

João Paulo Cardoso disse...

N.M.:

És capaz de ter razão.
É questão de rebobinar umas velhas cassetes de vídeo um dia destes...

Um abraço.

Mad disse...

Eu queria o martini (que é "shaken, not stirred" mesmo) e, porque não, servido pelo Pierce Brosnan - depois do Nespresso servido pelo George Clooney :D

av disse...

Mad,
Daqui a pouco estás a querer o Brad Pitt a lavar os copos... não te estiques, miúda!

av disse...

JP,
O avô da Heidi foi com o coelhinho no comboio ao circo... e ficou por lá, graças a Deus, comido por um leão gay!
Comparar ao dito o Sean Connery, que ainda hoje deixa inquietas mulheres de todas as idades, é pura heresia. Assim não brinco!

Bjs
Ana

João Paulo Cardoso disse...

Mad e A.V.:

Não sei porquê, parece-me que se fizesse um site daqueles a pagar, alarvemente esfusiante em fotos de machos charmosos, faria muito dinheiro com vocês as duas.

Estou a brincar.
Faria dinheiro também com todas as outras.

A ver.

Beijos.