22 maio 2007

O aniversário possível

102

Não foi um dia quase eldorado como no ano passado.
Ter "calhado" a uma segunda-feira retirou-lhe glamour mas, ainda assim, estando vivo e com relativa saúde, não poderia deixar de assinalar mais um aniversário.

Tempo cor de chumbo, pontualmente aclarado pelo esconde-esconde do sol.
Coração mais sossegado, depois das novidades da manhã. O que é que atormentava desta vez o meu espírito neurótico? Já lá chego.

O "dia possível" foi passado com uma passagem por Azeitão. Deambulações pedestres em baixa rotação, para apreciar como é delicadamente mastigado um dia de trabalho naquela que é uma das localidades que mais vive e respira os ares da Arrábida.

Em dia de anos, presenteei com ração embalada, um cão que vagabundeava por ali em busca de algo de comer. A cabeça mecanizou o gesto; o coração fugiu para outras paragens. Retemperado o ânimo com esse gesto, mais reconfortante foi depois mimar o estômago com um leite Ucal fresquinho e um "S" de Azeitão. Chamem-me "cota", "betinho", "tio" que eu chamei ao repasto um figo.

Por volta das oito da noite, depois de ter-me acompanhado nesse doce torpor azeitonense, aquela que amo acompanhou-me ainda no jantar no "Encontro de Sabores".
É um restaurante pinhalnovense muito voltado para a causa vegetariana, não deixando de ter carne, peixe e pizzas deliciosas. Recomendo.

Tenho vindo a descobrir que, ser vegetariano, não corresponde à ideia ainda em voga de que se trata de uma opção alimentar onde os sacríficios imperam. No way.
Prova disso foi o espectacular Strogonoff de Tofu com Arroz, a que se seguiu uma pecaminosa sobremesa de pêra, com leite condensado e canela. Já comia outra agora, mas a barriga tem vindo a emancipar-se e há que mostrar-lhe que sou eu que mando.

E, chegada a noite, foi a vez dos beijos e dos abraços que faltavam. O meu mano - que insiste em oferecer-me tudo o que há com emblemas do Sporting -, a minha cunhada, o meu sobrinho que requisitou-me para uma boa meia hora de trabalhos manuais com plasticina, os meus pais e o meu adoentado companheiro.

Vê-lo a sofrer, de focinho rente ao chão, turvou definitivamente os últimos dias.
Vê-lo dia após dia sem comer, tira-me o apetite. Tira-me o sono. Devolve-me a quase totalidade dos detestáveis sintomas que levaram à pior fase da minha vida. Foi só há um par de anos. A memória está fresca e eu tenho resistido a tudo. Mas...

Felizmente, com a administração de antibióticos e uma consulta que custou centenas de euros, ele recuperou apetite, alegria e saudável impertinência.
Falta o resultado das análises que seguiram para Barcelona acompanhadas pelo franzir de sobrolho do médico veterinário.

Chama-se Mickey e é um dos meus melhores amigos desde há quase dez anos.
Dez anos complicados de altos e baixos, com mais vales sombrios do que miradouros encantados.

Vê-lo bem seria o melhor presente de todos.

11 comentários:

Miosotis disse...

Grata pelas palavras amigas.
Sempre!!!
Voltarei para te ler....mas agora não.
Beijos

Miosotis disse...

Tarde e a más horas mas voltei.
E já te li.
Ok...um dia de anos pacato, prazeiroso e em família....fizeste bem!

Fatia de bolo não há?
Cantorias do "Parabéns a você"?
Taça de champanhe?
Brinde?
Discurso?

Semítico!!!!!
Quanto ao teu fiel amigo...aí sim, estou 200% contigo.
Sei o que é...conheço de cór a sensação.
Morreu-me um pastor com Lesmaniose
e logo a seguir uma boxer com torção de estômago.
E dói muito!
É horrível ve-los sofrer e nada mais poder fazer.
Choro com eles ...e fico ali, juntinho, até ao último suspiro.
E morro um pouquinho com eles.
Costumo usar o clichê "Quanto mais conheço as pessoas mais gosto dos meus cães."
Etenamente o fiel amigo...reciprocamente.
Bom, não te maço mais.
Jitos e até amanhã

N.M disse...

"Strogonoff de Tofu com Arroz"!!Hummm...não me parece nem me convence!!!LOLOL

Miosotis disse...

Uma flor pra ti....

____________888888
____8888___88888888___8888
___888888_8888888888_888888
___888888888888888888888888
___888888888888888888888888
____8888888888888888888888
_____88888888888888888888
_______8888888888888888
_________888888888888
______________**
____####______**______####
___#######____**____#######
____#######___**___#######
______######__**__######
________#####_**_#####
Que tenhas um dia lindo!
Beijos espalhados pelo campo de miosótis

João Paulo Cardoso disse...

miosotis:

Muito obrigado uma vez mais pelas tuas palavras e carinho.

O meu Mickey há-de melhorar se Deus quiser.

Beijos.

João Paulo Cardoso disse...

n.m.:

Strogonoff de Tofu com Arroz, sim!
Tens que provar, antes de dizer/escrever alguma coisa!!

Não negues à partida, um comerzinho que desconheces.

Bem... e se não gostares podes pôr sempre à borda do prato:)

Um abraço de Setúbal (onde escrevo neste momemto) para Pias.

Anónimo disse...

Nao desfazendo, ainda prefiro o meu Strogonoff de camarao. Ate porque nao consigo de pensar no tofu como um cruzamento de plasticina com esferovite. Gostos.

As melhoras para o cachorro.

nf

João Paulo Cardoso disse...

Null Fame:

Pssst!! Não digas a ninguém, mas um bom Strogonoff de Camarão é capaz de ultrapassar um de Tofu com Arroz em 90% dos casos.

Quero acreditar que o Strogonoff de Tofu que comi, pertencia aos 10% da excepção que confirma a regra.

Quanto ao Mickey, ele é mais que um simples cachorro, é quase humano, e por isso agradeceu os teus votos de melhoras com um cristalino "obrigado".

Primeiro assustei-me, depois pensei que era uma alucinação provocada por snifar bolas de naftalina (um novo hábito nocturno).
Finalmente percebi que era mesmo verdade!!

Com licença, que vou ali abrir a porta aos senhores do Júlio de matos...

Mad disse...

JP,

Não há dinheiro que valha a saúde das nossas "crianças". Eu também sou mãe babada de um pastor alemão, um rottweiler, uma rafeira e um gato vadio (este teve de ser... mas agora adoro-o). Que o seu Mickey o acompanhe por muitos e bons anos.
1 abraço.

Mad disse...

Ai, desculpe...
Muitos Parabéns.
Quando se fala em cães eu tendo a esquecer o resto.

João Paulo Cardoso disse...

mad:

Com o tempo, vai descobrir neste blog que sou um apaixonado pelos animais, embora prefira os gatos, desde sempre.

Curiosamente só tive um, o Faísca, enquanto cães, foram... vamos contá-los. Ah! E dou autorização para rir com os nomes.

Os rafeiros Sandokan, Jackie e Bambi e o pastor alemão Polícia.

Depois houve o tempo em que apostámos num mega-aquário de peixes coloridos e...

Epa! Isto deve dar um belo post um dia destes!!

Beijos.