17 maio 2007

NÚMERO 100

Prefácio

Este é o post nº 100 aqui no "Eldorado". Exige-se uma comemoração.


Escrevi que seriam sorteados canivetes suíços e torradeiras. Infelizmente o indiano a quem tinha encomendado esse material de contrafacção (e ainda dois dvd's com travestis anões) não apareceu no dia e local combinados. Que morra afogado em vomitado de caril.
Isto sem qualquer racismo da minha parte quanto àquele monhé do ca**lho.

Pensei depois numa festa com strippers polacas mas o S.E.F. meteu o bedelho.
Os palhaços malabaristas foram outro fracasso. Não tinham carteira profissional.

Restavam as imitações de Alberto João Jardim e Valentim Loureiro, gravadas numa velha cassete de crómio por um cromo, digo, por um talentoso septuagenário alentejano de Borba.
Preferi não ir por aí.

"Então", perguntam vocês, "o que há hoje para ver neste cabaret virtual?"

Um poema de Fernando Pessoa metamaforseado em Ricardo Reis, um Postal Caramelo sobre o Jardim do Pinhal Novo, testemunhos de blogonautas vizinhos (na verdade é só um...), um link para um momento genial dos Gato Fedorento e mais uma edição da "Quinta das Anedotas".

É o que há e não se aceitam reclamações.
E pensar que já escrevi 100 posts idiotas como este...

Poemas no Eldorado

E depois deste momento esquizofrénico, que só foi possível depois de ter bebido Bacardi com Sonasol e de ter fumado logo a seguir três pauzinhos de incenso de Aloe Vera, chegou a vez de dar espaço à poesia, porque sim.
Esta é a uma festa-muesli e por isso vale tudo.

Eis Fernando Pessoa enquanto Ricardo Reis:


"Segue o teu destino"

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.

Vê de longe a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.

Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.

Ricardo Reis


Epa, muito bonito. Até verti uma lágrima.
E agora, já de seguida, um Postal Caramelo.

E uma loura geladinha para o senhor da mesa do canto.

Postais Caramelos 3 : O Jardim

Para mim, tudo começou com uma velha fotografia descolorida, ainda o Jardim era pelado.

Com uma bela melena, na altura meio arruivada, equipado à Pinhalnovense, posei vaidoso para a velha máquina fotográfica. Depois o tempo correu, como uma criança atrás de uma bola.

Estas são, em breve resumo, as minhas memórias do Jardim do Pinhal Novo.


Sala de
visitas do Pinhal Novo. Pequeno pulmão verde no mar de concreto.
Orgulho-me de poder afirmar que aquele espaço vive um dos seus melhores momentos. Está florido, arranjado, mimoso.
Posso começar por aqui, pelas flores.

Flores
Difícil é nomeá-las, mas como sou um mestre em Botânica, consigo dizer-vos que ali há flores amarelas, cor de laranja, azuis, brancas, violetas, cor de rosa e árvores pequenas, médias e grandes. Impressionados, aposto.

Além das árvores e das flores, há pessoas que passam. E que se juntam aos magotes nas mornas noites de Verão, aproveitando para cuscar na vida alheia.
E que se juntam também em bom número junto ao coreto para chorar a morte de José Maria Bacalhau, que morre todos os anos na quarta-feira de cinzas e é preciso ter um azar do catano para ressuscitar tantas vezes e acabar por morrer sempre no mesmo dia.

Coreto
Nesse coreto, já o meu amado pai cantou várias vezes de galo, cioso da seu timbre de rouxinol, entre outros que fazem parte do coro da Filarmónica local.
Também nesse coreto, na portinha vermelha de uma espécie de cave, vivia há muitos, muitos anos, um velho desgrenhado que, sendo eu puto e fértil de imaginação, julgava ser o dono do coreto. Pensava eu: "este homem pode ser mais velho que uma tartaruga e cheirar mais mal que a Vala da Salgueirinha, mas c'o a breca! Mora num coreto!"

O coreto está ali desde 1927. Exactamente há 70 anos.
Aguém vai assinalar a data, ou sou apenas eu neste pobre blog?
Vejam lá isso.

José Maria dos Santos
A norte do coreto fica o mais importante "monumento" do Pinhal Novo, a estátua (1916) do benfeitor e fundador da terra, o insigne José Maria dos Santos, que dá nome ao Jardim, e que chegou a ter ali ao pé, a maior vinha da Europa. Só para verem como os pinhalnovenses são especialistas em desbaratar prestígio...
Mas do mal o menos, o povo caramelo tudo tem feito para recolocar a terra no mapa, para além da linha escura que significa a linha férrea que divide pinhalnovenses ao meio, apenas e só geograficamente, que o coração bate em uníssono.

Pois foi com a linha férrea, a estação de comboios e a igreja que tudo começou para o Zé Maria não das galinhas, mas das vinhas.

Igreja
Na velha igreja (1872) que completa este ano 135 anos de culto religioso, já assisti de tudo. Casamentos, baptizados e missas fúnebres. E nos últimos tempos, pequenas conversas com o Senhor Todo Poderoso e a sua correligionária Santa Teresinha.
Só eu sei o que tenho pedido. O melhor é que, aos poucos, as preces lá vão sendo atendidas.
É que não pode ser tudo de uma vez. A burocracia existe em todo o lado, até no Céu.

Ringue e Anfiteatro
O Jardim é pequeno, mas as memórias são cada vez maiores porque mais velho estou.
Não jogo futebol no ringue há mais de meia dúzia de anos. E morro de saudades. Mas parece-me ridículo pedir a punhado de gaiatos para jogar. Foi aí que tive tardes gloriosas. E desastrosas também.

Há também memórias alucinadas referentes ao velho anfiteatro, nomeadamente reportadas a uma velha discoteca itinerante que ali assentava arraiais nas noites de Verão. Ternurentos e fofinhos os primeiros "nãos" de meninas convidadas para dançar... Adiante.
Ali no anfiteatro está o mais belo graffiti do Pinhal Novo, escrito numa bancada de pedra.
Reza assim:

"Elogios não me elevam
Críticas não me rebaixam
Sou o que sou
Não o que acham"

Abençoadas ganzas que fazem criar poesia psicotrópica...

Lago
Falta falar de muitas mais coisas. Mas já estou a abusar da vossa paciência.
Não posso, contudo, deixar de lado o lago, elemento central da estética do Jardim.
Ali, em palcos improvisados no espelho de água, já actuaram Ágatas e outras pedras preciosas da música popular portuguesa. Já muitos se banharam nas longas tardes de canícula. Já muitos ali caíram nas saudosas tropelias dos Jogos Primaveris.
Ó tempo volta para trás!

Para mim, tudo começou com uma velha fotografia descolorida ainda o Jardim era pelado.

O Link da Malcata

Há não muito tempo - porque de computadores não percebo um boi - lá aprendi a criar links que vão daqui do "Eldorado" até onde eu quiser, ou até onde as autoridades quiserem. Só do YouTube já eu surripiei mais coisas do que o governo dos nossos bolsos.

Links, como o que criei para os desenhos animados da nossa infância, ou para as novelas que mais gostei, enriquecem e embelezam um blog.
Fotografias do Joãozinho? Epa, não. Eu disse coisas que embelezam o blog e não coisas que assassinem o blog. Aliás, acreditem, vocês não me querem ver.

Mas vão continuar a querer recordar bons momentos, espero.
Assim, este "O Link da Malcata" é uma nova rubrica aqui da casa. O propósito é imortalizar o melhor do humor. Como Ricardo Araújo Pereira em grande forma, na parábola de Marcelo Rebelo de Sousa, ainda antes do Referendo sobre a IVG.

Para ver carregue no asterisco *


Só tenho três palavras:
Ge - ni -al!


Gente que se liga na gente

Nos preliminares deste número 100, foi pedido a alguns fiéis frequentadores desta casa de petiscos, que opinassem sobre "O Eldorado". Mas só recebi um e-mail.
Estou triste. Estou mesmo a pensar friccionar esferovite nos meus pulsos até morrer bem morto...

Já passou.
Mas todos aqueles que não cederam aos meus caprichos serão severamente punidos.

Encontra-se em fase de limagem de arestas, a compilação dos mais estridentes hits do Toy, que vão invadir em hordas de vírus amestrados, toda a vossa parafernália tecnológica: telemóveis, portáteis, vibradores, máquinas fotográficas digitais, e até a dentadura high-tech da vossa avó.

Bem... eis o testemunho da Flora:

"Gosto imenso do seu blog. Já tenho rido bastante com ele. O que me fez parar por lá... Sem dúvida, o texto da Primavera. Nem sei como lá cheguei. De blogg, em blog... porque este ou aquele nome chamam a atenção... e acabei no "Eldorado".

E porque se calhar estava em dia mau (toda a gente os tem) gostei de me relembrar que depois de um frio Inverno, vem sempre a Primavera. Sempre!


Porque também acredito em sonhos, em que é possivel ser-se feliz apenas com um sorriso ou pouco mais.


Porque são as pequenas coisas que realmente nos fazem felizes. Porque ser feliz a todo o tempo é impossível, que eu possa descobrir a felicidade todos os dias, em pequenas coisas... como o sorriso da minha criança, ou o abraço de quem me ama.
Meia coxa, porque quem me ama ainda não apareceu... vou-me contentando com as outras grandes pequenas coisas que a vida me proporciona.

Nada como ver a luz do dia, todos os dias.Muita força e garra nesse blog (e em tudo o resto também: o que faz e o que acredita)."

Flora Leal, do blog "Devagar... mas com confiança"

Simpática a Flora. E gira. Aquele olho castanho mel (ou será verde?) não engana.

E para acabar o maior post do mundo, e porque hoje é quinta, aqui fica mais uma "Quinta das Anedotas".

Quinta das Anedotas 11
Especial "Os Homens não entendem as Mulheres"

Águas Passadas
Ela estava com algumas reservas no início do namoro:
"Nós não sabemos nada um do outro"
Responde ele:
"Não há problema, vamos conhecendo-nos ao longo da vida"
Ela concordou, casaram-se e foram em lua de mel para um luxuoso resort nas Caraíbas.
Uma manhã, estavam ambos deitados junto à piscina, ele levantou-se e subiu ao trampolim de 10 metros. Saltou em grande estilo. E voltou a subir e a saltar noutro grande estilo. E outra vez.
Voltou e deitou-se ao lado da mulher.
"Amor, foste fantástico!"
"Fui campeão olímpico de saltos. Eu disse-te que nos iríamos conhecer ao longo da vida!"

Então ela levantou-se, entra na piscina e nada velozmente até à outra ponta. E só volta depois de efectuadas 30 piscinas. E só depois saíu e deitou-se ao lado dele.
"Maravilhoso, amor! Também foste campeã olímpica de natação?"
"Não", respondeu ela. "Era prostituta em Veneza".

Pictionary
Um industrial de Paços de Ferreira foi à Noruega comprar madeira para a sua fábrica.
À noite, estava sozinho no bar do hotel e vê uma louraça encostada ao balcão.

Como não falava norueguês pediu ao barman um bloco e uma caneta e desenhou um copo com dois cubos de gelo. Mostrou-o à loura, ela sorriu, assentiu e foram tomar um copo.

De seguida começou a tocar música, ele pegou de novo no bloco e desenhou um casal a dançar. Mostrou-lhe, ela concordou e foram dançar.

Cada vez mais à vontade um com o outro, voltaram ao bar de braço dado e a rir alto. Ela pediu-lhe o bloco e desenhou uma
cadeira... uma cómoda... e uma cama. Mostrou-lhe e ele diz:
"Sim, sim! Sou de Paços de Ferreira!"

As prendas da sereia
Um pobre náufrago está há anos numa ilha deserta, até que um dia avista algo no horizonte.
"Epa, o que é aquilo? Uma barcaça? Não... parece... alguém..."
E era uma louraça que emergiu para ele, curvilínea, estonteante num fato de banho prateado.
Não me perguntem de onde ela veio e porque é que vai fazer-se a ele já a seguir, porque eu também não sei e a anedota é mesmo assim... Adiante.

"Há quanto tempo não fumas um cigarro?", perguntou ela.
"Há mais de 1o anos!"
Então, ela abre o bolso do fato de banho, tira um cigarro e oferece-lho. E volta à carga, a malandra.
"Há quanto tempo não bebes um whisky?"
"Há mais de 10 anos!"
E lá saca uma garrafinha de whisky de outro bolso de um fato de banho que, a existir, deve fazer um sucesso tremendo na SportZone ou na Decathlon.
"E agora...", pisca o olho a louraça, enquanto olha para o náufrago e começa a fazer deslizar o fecho principal do fato.
"Epa!", exclama o nosso homem todo contente, "tu não me digas que tens aí um PC?"

Epílogo

E pronto. Foi a nossa festa comemorativa de 100 posts.

Espero que tenha sido um tempo bem passado.

A partir da próxima semana há mais.

Uma das novidades diz respeito à inclusão de separadores entre os posts principais.
Vai chamar-se "Vox Emporium".

Pronto. Agora é que acabou.

Fim.

Está calor hoje, não está?
Uff... está cá uma brasa!

Pronto. Fiquem bem.

Onde é que está chave do carro, alguém viu?
Bolas, estava mesmo aqui! Uma pessoa não consegue ter nada arrumado nesta confusão...


25 comentários:

FL disse...

Ainda nem li! Vi o meu olho e paniquei!!!! Tu abusas... Onde é que te apanho para te dar uma coça?!

Á parte disso: PARABÉNS pelo nº 100. Prometo que vou ler quando me passar o pânico;)

Beijos, 100 deles, boa?

João Paulo Cardoso disse...

Flora:

Diz lá que não tenho olho para o negócio?

O post nº 100 é grande para ser leitura de fim de semana.
Textos novos só para segunda-feira.

Se quiseres que eu tire a foto, é só dizeres. Apago os comentários também e fica tudo como antes.
Excepto para umas dezenas que já viram... oops!

Então, como é?

FL disse...

Deixa ficar... afinal dizem tens bom gosto;)

FL disse...

* que tens bom gosto

ana vidal disse...

Que se lixe o francês, de uma vez por todas!
Parabéns! Adoro humor nonsense, e esta descrição milimétrica do pinhal novo é do mais requintado que tenho visto. Ainda por cima é politicamente incorrecto, o que só lhe dá mais graça. (hoops!, o nome da terra saíu em minúsculas, mas juro que não é falta de consideração. Afinal de contas, até a porcalhota tem direito à defesa e ao orgulho dos porcalhotenses... ou será que são porcalhotos?)
Continua, faz-nos lá esse favor. Rir é mesmo o melhor remédio, já dizia o Reader's Digest.
E todos andamos bem precisados disso.

Ana

Miosotis disse...

Oi!
Para já, obrigada pela caixinha de pensos rápidos...ah..ah...ah....
Grande amigo que tu me saíste!
E já agora fica a pergunta:
Quem te disse que eu te queria "melado" quando me visitas?
Ai de ti!!!!!
Passarias a ser tu a precisar dos pensos...
E de talas...
E de gessos....
Muletas ou cadeira de rodas?
Deixo ao teu critério.
Gosto de pessoas sinceras e não de "graxa" passada pelo pêlo.
Bom, mas passemos ao next...
Agora passei a ser a "little butterfly" em vez de "tipa das borboletas"?!
Uauuuuhhh.....já subi de categoria!
Next......
Quanto a este post...nº100...
nhammmm, se tivesse mais um "zero" era mais importante...
E reivindico os meus direitos de lesada na corrida aos canivetes.
Talvez a Defesa do Consumidor me valha, porque tu.... Oh Deus me valha!
Mas podes-te dar por "um gajo de sorte" em ter tão acérrimas vontades em te ler, porque realmente um post deste tamanho....
e ainda com coisitas da treta pelo meio para ir bisbilhotar....francamente, é dose para Leão.
Não podias ser perfeito!
E eu até sou ÁGUIA!
Mas este lençol electrónico é realmente demais.
Quanta paciência para te aturar!
Bom, e por último, colocaste o Ego da Flora nos píncaros.
Hummmm....novas técnicas....modernices!
Agora ela cai-te aos pés....
Bajulador!!!!!!
Bem e com isto tudo o meu simples comentário já está igual ao teu post.
Credo, isto contagia-se!
Vou-me embora...já!
Deixo-te beijos espalhados pelo campo de miosótis.
Fica bem!


Ps- Quero saber qual vai ser a punição de que falas no post, por não ter cedido a caprichos.
Bom fim de semana.

João Paulo Cardoso disse...

Flora:

A vaidade só te fica bem.

Confesso, entretanto, que aquele olho dourado em tamanho gigante, bem no meio do post, assusta-me um bocado.

Parece fitar-me desconfiado...

"Big Brother" em versão "Big Sister"?

Beijos e bom fim de semana.

João Paulo Cardoso disse...

Ana Vidal:
Ena tantos elogios! "Assim fico meio sem graça", como dizem no Brasil.

"As Crónicas da Porcalhota" parece-me uma ideia interessante.

Quem é o Porquinho da Junta? Digo, o Presidente dessa Junta?

Beijos e bom fim de semana.

João Paulo Cardoso disse...

Miosotis:
Estendo o braço e ofereço a palma da mão para as borboletas pousarem e não é que elas mordem?

Se elogiar mais do que a conta, vou precisar de pensos...
E de talas...
E de gessos....
Muletas ou cadeira de rodas...

Post nº 100?
Nannn... a Miosotis só quer festa no nº... 1.000!!
Exigente, a menina borboleta.

Depois queixa-se do tamanho do "lençol electrónico" (muito boa esta), e enquanto diz que é preciso paciência para me aturar, passa de borboleta a águia e, lá de cima, ainda pergunta qual é a sua punição!!

Anda cá abaixo que arranco-te as asas, borboleta gigante do Estádio da Luz!!

Bom fim de semana, sua marota!

FL disse...

Só um reparo:

Ai se a Flora caísse aos pés de alguém! Estava o Mundo virado.
E mesmo a acontecer... era preciso mais, muito mais!

Sem desprimor para o JP, que é um querido e por quem tenho uma estima enorme.

Beijos

Miosotis disse...

Eh...eh...eh....
Foi só uma brincadeirinha.
Desculpem qualquer coisinha (FL e JP).....
Beijos e abraços e muitos palhaços.
Fica bem oÓ Leãozinho da treta....
E já agora, vê lá se me apanhas!
Então?!
Não és tu o rei da selva?!
E que selva......
Have a nice weekend.....for both.

João Paulo Cardoso disse...

Miosotis:
Infelizmente, este volta a não ser um ano para águias e leões...

Parece que o dragão do norte já anda a treinar o bafo vitorioso, a julgar pela brasa que está hoje...

... mas a bola é redonda e por isso, nunca se sabe.

E se...
Ah! Deixem-me sonhar!!

N.M disse...

Parabéns pelo numero 100!!!Parabens pelo blog...ja fizes-te com que seja um leitor assiduo do teu blog!!!
abraço

Mad disse...

Rendo-me definitivamente. Posso pôr o seu link no meu blog?

(Não sei como, mas isto soa-me tão ordinário... mas não era suposto!)

Mad disse...

Talvez ordinário seja uma palavra forte demais. Brejeiro, definitivamente é o termo.

Mad disse...

Também definitivamente, vou calar a boca de uma vez por todas.
:(

FL disse...

Mad:
Claro que podes, que o que JP mais gosta é de publicidade:)

JP:
Pronto! Já li. E, mais uma vez, escangalhei-me a rir contigo...

Só falta uma coisinha... O link, ali ao lado. Nem é por mim. Olha a família;)

Beijos
PS: JP desculpa responder directamente à Mad... mas sabes, eu estico-me:)

FL disse...

http://dizqueeumaespeciedeblog-fl.blogspot.com/2007/05/prendinha.html

Miosotis disse...

Bolas....já aqui vim duas vezes para ver se haveria novidades....ou bolo....ou "SURPRESA!"...ou....
Ah, qualquer coisa , sei lá!
Mas nada!!!
És mais fechadinho do que.....
Pronto, está bem...
PARABÉNS!!!!!
E mais nada digo..
E também não conto a ninguém....
Guarda lá o bolo e a festa e as prendas e ....tudo só para ti.
Beijo especial para o dia de hoje.
Mas só hoje!
E não abuses.......

Bombeira disse...

Parabéns, Amigo!

De facto, as novas amizades on-line operam milagres... Estava mesmo a leste do teu aniversário, tão desligada que sou de datas (ou uma «fugitiva das datas», como já me rotularam).

Mas as tuas novas amigas não deixaram escapar... É impressão minha ou eu tinha-te dito várias vezes que te faltava um acesso à Net para multiplicares as amizades? Vês como está a valer a pena?

Um dia muito feliz e AVANTE na conquista d' O Eldorado!

Beijinho. E se quiseres voltar ao Jazz, é só dizeres. Continuo a depender dos co-pilotos!

João Paulo Cardoso disse...

N.M.:

Agradeço a tua fidelidade.

Podes (e deves) continuar a passar por cá, porque a loucura tende a aumentar e assim sendo...

Um abraço.

João Paulo Cardoso disse...

Madalena:

A sequência de comentários assentam que nem uma luva ao "mad" com que os subscreves...

Agora a sério: Claro que podes pôr o meu link no seu blog.
O teu "Mais que Fazer" já está ali ao lado há algum tempo.

Beijos.

João Paulo Cardoso disse...

Flora:

O "Ligações Quiméricas" tem um link ali ao lado há algum tempo!! Não é o que se pretendia?!

Ah, sim! Falta fanfarra, passadeira vermelha, champanhe e fogo de artifício, mas não consegui providenciar...

Beijos.

João Paulo Cardoso disse...

Miosotis:

Como dizem que adoro publicidade (bolas, se for boa publicidade confesso que sim!!), estou a responder individualmente a cada um de vocês.

Viva o recorde de comentários!!
Eh! Eh!

E, a ti, teria que ser sempre individualmente.

O relato possível do meu aniversário possível, já está publicado.

Um beijo. Grande.

João Paulo Cardoso disse...

bombeira:

Uff!!!
Só faltas tu!

Mas os últimos são os primeiros.
Agradeço os teus parabéns.

Quanto à multiplicação de amizades, sim, é verdade, mas nunca tive falta de amigos, como sabes.

A questão é que, às vezes, como excelso bicho do mato que sou, desato a declinar convites daqui e dali e, qualquer dia estou (mais) velho, sozinho e insuportável!!

Beijos!