03 setembro 2007

As 21 Toupeiras do Alvalade XXI

153

El Gramado
crónica semanal de futebol
(edição nº 01)


Muda-se de mulher, de partido, de emprego e obviamente de cuecas, mas não se muda de clube.
Esta é uma das imagens de marca do machismo lusitano e ainda e sempre com razão de ser.

Não nasci sportinguista, mas também não nasci adepto de outro clube.
O entusiasmo pelo futebol vinha de pequeno, mas "só escolhi clube" mais tarde, já tinha mais de 10 anos. Apesar de cá em casa insistirem na versão que dá conta da persuasão psicológica do meu avô materno, insisto eu ainda mais que a "opção Sporting" foi uma escolha fundamentada na razão e nas fotos ainda a preto e branco do título conquistado em 1982.
Detestando desde tenra idade os "carneirismos", mesmo ao nível da comoção de massas, um devaneio primário sem base racional como o de "ser de um clube porque sim", só tinha fundamento se aliçercado na razão, mas hoje sei que há paixões que não se explicam, vivem-se e pronto.

E é essa fidelidade a um clube que faz com que seis milhões de adeptos encarnados vibrem com camisolinhas cor de rosa e vibrariam de igual forma se os seus jogadores vestissem sacos de batata ou corpetes vitorianos, desde que ostentassem o emblema da águia em cima de uma roda de bicicleta.

A mesma premissa serve para os filhos do dragão ou todos os bravos sportinguistas que, como eu, não conseguem achar minimamente criticável a infraestrutura magnífica que dá pelo nome de Alvalade XXI, saída da delirante mente do arquitecto Taveira.
É o estádio do Sporting e, por isso mesmo, só um verdadeiro leão entenderá e defenderá a obra que os adeptos de clubes rivais e frustrados críticos de arquitectura tendem a denegrir.

Se o esboço do Alvalade XXI saiu das mãos daquele que habilmente filmou uma série de meninas sodomizadas a preceito, então porque razão o estádio não pareceria uma enorme casa-de-banho?
Certos fétiches não desaparecem de um dia para o outro!

Mas, sendo um expert em matéria de sítios apertados e escuros, não se compreende como o arquitecto se esqueceu que o futebol precisa de sol, porque facilmente se envolve em meandros opacos e nebulosos.
Ou o estádio filtra demasiado a luz, fazendo com que o relvado pouco sinta o sol e pouco se consolide, ou vivem no Alvalade XXI 21 toupeiras que se divertem nos jogos do clube, arremessando fofos tufos de relva sempre que um craque de sua predilecção passa a correr, com a bola colada aos pés.

E nem assim nós sportinguistas nos envergonhamos e enfiamos a cabeça nos buracos descobertos pelos tufos lançados pelo ar, em directo, na televisão.
É o nosso estádio, é o nosso clube, para o bem e para o mal.

O que é certo é que sucedem-se as mudas de relva e o problema não se resolve, para desespero dos Izmailoves e Vukcevices que fazem do recorte técnico as suas principais armas para ludibriar adversários.

E em breve lá estará o Alvalade XXI pronto a receber o segundo jogo no espaço de poucos dias, um Portugal x Sérvia. É o regresso de Ronaldo ao toupeiral que o tornou famoso. Rezemos para que não parta uma perna.

5 comentários:

ana vidal disse...

Ah, leão!
Neste caso não me parece muito prudente dizer "breake a leg" para desejar sorte ao teu clube, por isso só me resta dizer: "merda!", como no teatro.
beijo

Susana disse...

Nós Sportinguista é para o bem e para o mal, sempre.
Vi logo, tens de ser boa pessoa. :)

Quanto ao Arquitecto, nada contra. :) Elas não foram trancadas em nenhuma casa-de-banho, contra a vontade, pois não? :)

Venha daí o Ronaldo ou quem quer que seja e beije o chão de tanta honra que é pisar o Alvalade XXI. (Exagerei, não?) ;)

Beijos

João Paulo Cardoso disse...

Ana Vidal:
Minha cara, não é preciso desejar "merda", neste caso.
O meu amado e trapalhão clube, trata disso pessoalmente, como é habitual, infelizmente...

Mas enfim...
SPOOOOOOOOOORTIIIIIING!!!!!!

Beijos.

João Paulo Cardoso disse...

Susana:
Subiste mais uns pontinhos na minha consideração!

Fáxavor de nunca deixar de sentir o pulsar do leão, aí no norte!

Quanto ás toupeiras, que façam amanhã tropeçar os sérvios e, mais tarde, Adrianos, Cardozos e outros!

SPOOOOOOOOOORTIIIIIING!!!!!!

Beijos.

Susana disse...

Será que a minha pontuação na tua consideração já passou para positiva?;)

Vou dizer-te, no norte o pulsar do leão é bem mais forte do que se pensa por este país fora. E lembra-te, norte não é só Porto, embora eles tentem fazer crer que sim.:)

Agora, com toupeiras ou sem toupeiras, com alegrias ou tristezas, o Sporting estará sempre no coração. É uma honra fazer parte dos adeptos decentes que são os adeptos do Sporting. E tenho dito...

Beijos