17 setembro 2007

O Primeiro Dia - 2ª parte

160

Rita

Olá. Chamo-me Rita Lencastre, sou professora do 1º ciclo, tenho 26 anos e hoje é o dia de regresso às aulas.
Há quatro anos que lecciono nesta escola, mas, enquanto guio o C3 pelo IC-19, não posso deixar de sentir um arrepio na espinha. Sei que não é por causa do ranhoso no camião TIR que se atravessou há pouco à minha frente, nem sequer por causa do top verde água, escolhido demorada e erradamente no guarda-roupa, já que vem aí uma carga de água capaz de fazer Lisboa roubar o título de "Veneza Portuguesa" a Aveiro.

Não, não é nada disso.
Não são nervos instigados e retesados pelo caminho, vêm já desde casa, desde ontem, desde há meses, desde que aconteceu o que nunca deveria ter acontecido. Mas aconteceu e até agora não houve volta a dar.

Ele é técnico informático, foi lá a casa, com o seu jeito insolente, modos rudes, um tanto ou quanto javardo. E eu recebi-o no meu top azul turquesa (tenho um corpo jeitoso, uma borboleta vermelha no umbigo como recordação de uma louca temporada em Barcelona e adoro tops. Porque não mostrar isto ao mundo?).
O contraste fez faísca e o fogo ainda arde... como é que ele costuma dizer? "Como fogo num palheiro".
Só depois soube que me tinha queimado. Ele era casado, raios! E com um filho, raios!
Olha, começou a trovejar...
e a relampejar...
e agora a chover...
não devia praguejar no IC-19.

"O meu filho vai para a tua escola. Trata-o bem", escarneceu ele, julgando que só ocasionalmente me cruzasse com o puto, mas o destino dá muitas voltas e eu, pela primeira vez, vou leccionar de manhã. 18 crianças, entre elas, um tal de João Miguel Aroso Sousa.
Páro o carro e vomito o Actimel por cima do top verde água.

O filho da outra.
Se depender de mim, o fedelho vai chumbar o ano e, no ano que vem, outra que o ature.

Hoje é o primeiro dia de aulas do filho do Carlos... quem diria?

Miguel

Olá! Chamo-me João Miguel Aroso Sousa, mas toda a gente chama-me "fedelho". Tenho seis anos e hoje é o meu primeiro dia de aulas!
Há três anos que ando no infantário da Dona Celeste, mas parece que chegou a altura de dar o salto para uma escola mais importante. A este ritmo ainda vou chegar a primeiro ministro, como aquele senhor de cabelos cinzentos, o Socas.

Estou muito entusiasmado, porque adoro escolas cheios de meninos e meninas e já sei que vou reencontrar a Susi Lambreta, o Gonçalo, o Rui, a Mónica, a Beatriz e o Gordo, tudo malta que fez o infantário comigo.

Tenho uma mochila do Noddy tão fixe que até brilha, cheia de coisas novas, prontas a estrear e vou aprender a escrever e a ler! Finalmente vou poder ler as notícias do Benfica na "Bola" e os bilhetes que o meu pai troca com aquela loura, quando vamos ao parque e que só vejo ao longe.
Estranho... agora que reparo, também ainda ao longe, a minha professora é muito parecida com ela...

Comigo trago também uma lista de recomendações.
Coisas da minha mãe, julgando que eu sou o filho do Una Bomber.
A lista tem dez mandamentos que devo seguir à risca:

1. Não falar nas aulas.
2. Não correr em tronco nu no recreio.
3. Não empurrar o Gordo contra os outros.
4. Não puxar as orelhas ao Luisinho.
5. Não tirar macacos do nariz para os colar debaixo da mesa.
6. Não mandar o pão fora, depois de lamber a geleia.
7. Não dizer palavrões quando estou com o Luisinho.
8. Não imitar o King Kong.
9. Não arrancar as flores dos canteiros.
10. Não esquecer que o Luisinho não existe.

Bom, está a tocar para a entrada. Um beijo à minha mãe e lá vou eu. A contínua da verruga está a sorrir estranhamente para mim, parece ser boa pessoa.
À entrada da sala, a professora Patrícia olhou para mim e disse "Bem-vindo, Miguel!", mas eu não sei como é que ela sabe o meu (e só o meu) nome!
Enfim, parece que está tudo a correr bem e vou ser muito feliz aqui!

Hoje é o meu primeiro dia de aulas... quem diria?

9 comentários:

ana vidal disse...

Superaste-te, JP. Belíssimo texto. Mas queremos todos saber quando e como esta gente toda vai explodir...

beijo
ana

FL disse...

Bravo JP. E eu que não gosto de novelas! Cenas dos próximos capítulos???

Beijo

João Paulo Cardoso disse...

Ana Vidal:

Se a imaginação cavalga febril, a caminho do hospital, à espera de ser atendida pelo Dr. Gregory House, porque é que não se apeia um pouco, descansa debaixo de uma árvore e conclui estes retalhos novelescos com cheiro a vingança, sémen e pó de giz?

É que não serei mesmo eu a estragar o resto da vida do Miguel!

Beijos.

João Paulo Cardoso disse...

Éfe Éle:

Habilito-me a ser processado por algumas das personagens acima ( que as há por aí...) se avançar mais.

Mas hei-de urdir outras teias, outras histórias.
Hei-de, hei-de.

Heidi.

Ah, não, esta já foi escrita por outro.

Beijos.

gisela cañamero disse...

Parabéns, parabéns, parabéns.

João Paulo Cardoso disse...

Gisela:

Salvo erro é a primeira vez que deixa um graffiti nas paredes do Eldorado.

Cá vai a tradicional saudação da csa, porque moelas já não temos:

Seja então bem-vinda a esta tasca de petiscos.
Volte sempre.

Susana disse...

Vai ser tão feliz, mas tão feliz que vai repetir o ano de tanto gosto lhe dar. E a professora vai ter tanta sorte mas tanta sorte, que lhe vai calhar o mesmo ano e a mesma escola. Ele há coisas na vida... :D
Espero é que o top verde água ou azul qualquer coisa mude porque parece-me intragável. Mas isso já não é comigo...

João Paulo Cardoso disse...

Susana:

Para mim não interessa sequer a cor.
Desde que sejam tops já fazem parte dos meus posts e dos meus tops.
Topas?

Susana disse...

Topo, mas verde água ou azul cueca???? Tens de ser mais selectivo... :)