31 março 2009

Maminhas Grandes e Letras Gordas


Continuo com os fusíveis queimados, à beira de um derrame cerebral, mas vamos lá a ver se escrevo aqui alguma coisa.

A "revista de imprensa" - as principais manchetes dos jornais do dia - é uma das tarefas de cada manhã na minha actividade profissional aqui na rádio.

É também, possivelmente, aquilo que gosto mais de fazer, pelo contacto com as novidades escarrapachadas em letras gordas em cada primeira página, as cores, os diferentes grafismos, a panóplia de ofertas que serve de isco ao leitor e... as palhaçadas.

Dicção entusiasmada com as parangonas, voz acelerada para recuperar tempo, e eis que me deparo com esta da "Bola":
"Carlos Queiroz só corta a barba quando Portugal marcar dois golos".

Um merecido destaque jornalístico em relação às superstições e opções estéticas de um treinador de futebol.
A avaliar pelos últimos três jogos a sério sem marcar golos, em breve teremos um Moisés a vociferar mandamentos para Ronaldo e companhia.

Mas o melhor exemplo do bom jornalismo é, invariavelmente, o "24 Horas".
Hoje na primeira página, no canto inferior direito mas de modo a que ninguém deixe de ler tão importante novidade quando passa à frente de quiosques e papelarias, lá estava um dos temas mais em voga nos últimos anos:
O upgrade mamário.

"Joana Alvarenga mete maminhas novas", é um dos destaques da edição de hoje.

Se esta moda de brincar com balões fora do Carnaval e dos Santos Populares continuar assim em força, vai ser mais complicado andar de metro nas horas de ponta.

2 comentários:

Maldonado disse...

É a imprensa que nós temos...

João Paulo Cardoso disse...

Maldonado:

É verdade.
Somos um imenso tablóide à beira mar plantado.

Grato pela visita.

Um abraço.