05 março 2009

Dia Mary Poppins


Lição de vida:
Nunca abram o guarda-chuva quando o vento está zangado.

Foi o que fiz esta manhã e de imediato o vento raptou-me, fez-me rodopiar pelo ar e depositou-me aqui, não sei onde.

Pelo caminho parti a espinha no alto da igreja e levei com o topo de um pinheiro nas partes baixas.
Dois ou três gajos das obras chamaram-me Mary Poppins.
Abalroei uma gaivota.

O depravado do vento até me levou as calças e foi um escândalo quando sobrevoei Lisboa há pouco.

Tinha uma ponte vermelha, logo ou era Lisboa ou S. Francisco, não percebi bem.

Era capaz de ser S. Francisco, a avaliar pelos gritos larilas quando eu passei com o badalo pendurado.

É por estas e por outras que tipos extremamente dotados como eu não fazem asa delta.
Larga-me João, isto não é um pé de feijão.

Ademais, o vento não selecciona as suas vítimas e há por aqui merda de todo o género ao rodopio.

Já levei com a Carolina Salgado e a irmã gémea na fronha e, como não vi vassouras, continuo sem perceber qual delas é a bruxa.

............................................................................................

P.S: Se conseguir encontrar o caminho de casa, os "Sex Files" previstos para hoje serão publicados amanhã.
Muito agradecido, passem um bom dia, e avisem os McCann que vi a Maddie passar por mim algures sobre o Panamá.

2 comentários:

Maria do Desassossego disse...

A bruxa é a que levou uma lamparina nas trombas, de uma fã do Pinto da Costa, ofendidíssima com tamanha traição. Pelas fotos, a morena estava furibunda!!!

Como sempre, é fantástico chegar aqui e ler-te meu bom amigo. Continua assim, que eu vou continuar a nadar;-)

Beijo grande

João Paulo Cardoso disse...

Dancing Queen:

Da próxima vez que passar na Ponte 25 de Abril espreito lá para baixo a ver se te encontro em vigorosas braçadas.

Podes levar uma touca cor de rosa para te reconhecer?

Beijos.