07 abril 2008

O Cãopeonato

O Eldorado - Edição nº 222

As saudades do gatinho dourado ainda se cravam na pele, mas quem não tem gato caça com cão.
A pensar nisso - se bem que os ão-ãos não substituem os miau-miaus - lá fomos ver mais uma exposição canina na Moita, que dizem ser do Ribatejo.

Nesse sábado, os dragões do norte sagravam-se uma vez mais campeões de futebol, logo em Abril e com quase vinte pontos de avanço mas ali, no Parvalhão Municipal da Moita, era tudo mais renhido:

Dezenas de cães de todas as raças, tamanhos e feitios lutavam por uma distinção dos senhores juízes e por um punhado de rodelas Eukanuba cada vez que demonstravam toda a sua graciosidade, porte e boa educação.
Os donos ou até quem sabe treinadores contratados a peso de ouro, prometiam um punhado de ração se os bichanos esticassem bem o focinho e empinassem a cauda, mas muitos não cumpriam a promessa e voltavam a guardar o biscoito no bolso.
A isto eu chamo "biscoito interrompido", que é mais ou menos o que o Sócrates tem feito com todos nós.

E foi ver Serras da Estrela, Perdigueiros, Cães de Água e muitos outros darem o seu melhor com muitos poucos latidos e muito menos pulgas, porque ali era tudo tratado com profissionalismo.
Por toda a parte, futuros Eduardos Beautés tosquiavam poodles e caniches, penteavam lãzudos Collies ou Golden Retrievers, enfim, mimavam-se todos aqueles que são os melhores amigos do homem e a quem só falta a capacidade de emprestar 10 euros ou ir até ao bar beber bejecas.

Todos os béu-béus presentes deram o seu melhor com língua bem pendurada, já que o Abril mascarava-se tanto de Agosto como hoje se disfarça de Novembro.
Estávamos então numa gigantesca roulotte de cachorros quentes e embora ninguém quisesse trincar os amigos de quatro patas, ainda bem que a ASAE não passou por ali.
Mas fica a sugestão para uma exposição de Agentes da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica "vestidos" apenas com slips apertados e peúgas pretas.

Seguimos depois para uma tenda com os chamados cães perigosos, ali bem perto, a maior parte de grande porte, sendo mais perigoso o meu fascínio por aliterações como esta do que aqueles Bullmastifs, Rotteweillers e Dobermans.
Por outro lado até um Chihuahua se torna perigoso, sobretudo se untarem as minhas canelas com mel e o bicho estiver com fome.
Eu próprio já me babo mais do que um boxer quando penso em canela com mel, mas isso são os recorrentes sonhos eróticos que eu tenho com crepes e waffers e que, colocados em prática contribuem para o alargamento do perimetro do meu abdómen, tanto que há carros que me contornam pela direita.

A apresentar as pomposas 4ª Exposição Canina Nacional da Moita e a 3ª Exposição Canina Internacional da Costa Azul estava um speaker resgatado das emissões radiofónicas dos anos 60. Esperava que o fulano murmurasse a qualquer momento "e agora, um momento musical com a voz inconfundível de António Calvário, para logo a seguir regressarmos ao nosso passatempo aqui nas belas tardes do Rádio Clube Português", mas o cota limitou-se a apresentar a cachorrada.
Com profissionalismo e rigor, diga-se.

Foram umas horinhas bem passadas, essa é que é essa.
Saí dali com imensa vontade de ir trincar um osso e urinar contra um poste.
Já não tive tanta vontade em relação a cheirar o rabo de outras pessoas.
Enfim, feitios.

7 comentários:

MariaV disse...

LOL!!!

Patrícia disse...

Biscoito interrompido?!?!?!
LOLADA!

João Paulo Cardoso disse...

Mariav e Patrícia:
A gerência da casa agradece as gargalhadas que ecoaram no Salão Nobre do Eldorado.

Beijos.

Telma disse...

Amiguinho, alegra-me ler que continuas bem disposto...deixas-me feliz também.
A exposição canina até tinha uns exemplares bem engraçados. Pena não nos termos cruzado por lá. Beijokas

João Paulo Cardoso disse...

Telma:
Olha que boa supresa! Acho que é a primeira vez que comentas aqui, não é?

Espero que se torne um hábito, porque eu, modéstia à parte, recebo muito bem nesta casa e sempre serve para matarmos saudades.

Quanto a andar bem disposto... tem dias. Os fantasmas do fututo estão mais próximos e os do passado também, o que faz com que me sinta, no presente, entalado entre fantasmas.

Uma experiência ao mesmotempo erótica e paranormal que não recomendo a ninguém...

Beijos.

Anónimo disse...

só posso dizer que és uma fofura

João Paulo Cardoso disse...

Eu sei.