10 fevereiro 2010

Liturgia Leonina


Em menos de 40 dias do ano que há muito esperava, perdi um carro, descobri que tinha o colesterol e o fígado a arrebentar pelas costuras e, last-and-really-last-because-less-important, sofro com o pior Sporting das últimas décadas.
Isto está a correr bem.

Facto indesmentível que não é de agora:
F.C. Porto e Benfica têm maior arcabouço financeiro para formar plantéis de melhor qualidade, competitividade e capacidade de sonhar realisticamente com conquistas a nível interno e um ou outro brilharete lá fora.

Nos últimos anos - outra verdade irrefutável - foi Paulo Bento quem ao leme de uma frigideira com poucos ovos, conseguiu servir uma ou outra refeição para reconfortar os mais exigentes estômagos leoninos.
Sim, foram apenas taças, mas entretinham a nação.

O Paulo, acabadinho de ser campeão pelos juniores, chegou ao comando técnico da equipa principal do Sporting, fazendo uso da capacidade de arregaçar as mangas, defesa do grupo de trabalho, perseverança na conquista de objectivos e claro, uma talvez inesperada aptidão para espremer limões com pouco sumo.

É provável que tenha esgotado o seu tempo, como numa relação onde o amor é minado pela rotina.
Mas substituí-lo por Carlos Carvalhal foi um crasso erro de casting.
E não faltaram conselhos em sentido contrário junto de Bettencourt.

Os sportinguistas já só esperam que a época acabe, mesmo que em pleno Fevereiro, adivinhando-se sofrimento atroz até Maio.

Carvalhal não vai ficar.
Não pode ficar.
Apesar do Entrudo estar à porta, nunca gostei de Bailes de Carvalhal.
Há que estudar alternativas, de modo a preparar atempadamente a próxima época.

Uma jogada de coragem - e realista tendo em conta os cofres leoninos - seria apostar em Litos, actualmente ao serviço do Portimonense.
A campanha já corre nos telemóveis e passará também por este blog.

Litos, se estiveres a ler isto, quando fores treinador do meu Sporting, não te esqueças que fui eu que iniciei a vaga de fundo.

É claro que, tal como o Mentor, preferia escolher entre outros nomes, onde também no primeiro lugar apareceria o nome de Zico, filho de pai sportinguista e maior estrela do futebol brasileiro pós-Pelé.
Mas Zico custará sempre mais do que o Sporting pode pagar.

Sonhar, valha-nos isso, não custa nada, mas nesse caso resgataria da reforma dourada o meu treinador preferido de sempre, Johan Cruijff, agora ao leme de uma selecção da Catalunha que pouco o arranca do sofá.

Que seja então Litos e o mais depressa possível.
Antes que os últimos leões desistam de lutar.

4 comentários:

cabaret disse...

Venha quem vier, que os tempos sejam para melhoras, tal como a tua saúde que fique melhor.Pois para este nosso Sporting já não à pachorra (q bela palavra né?) Gostei da referência aos Virgem Suta muito fixes os gajos. Abraço.

João Paulo Cardoso disse...

Cabaret:

Realmente as coisas não andam nada bem nem para leões, nem para leopardos azarados como eu...

Onde está a Sociedade Protectora dos Animais quando precisamos dela?

Um abraço.

N.M disse...

O problema do scp não esta, no meu entender, no treinador mas sim no presidente e na sua estrutura directiva.
Quando o Bettencourt foi eleito presidente pensei cá para mim"boa escolha" mas agora vejo que ele ainda tem muito a apredender. ele cada vez que abre a boca diz muita coisa escusada e nem pensa bem naquilo que diz.
Se o sporting melhorar essa parte e der condições ao treinador certamente irá melhorar.

João Paulo Cardoso disse...

n.m:

O problema não está efectivamente no treinador, mas já se sabe que este é sempre a primeira peça do dominó a cair.

Difícil será já pôr em causa um presidente eleito por uma esmagadora maioria.

O Sr. Bettencourt já prometeu um defeso cheio de contratações e ilusões em verde e branco.

Temo que depois dessas loucuras presidenciais seja mesmo o "vai ou racha":

Ou o Sporting faz uma época com algumas conquistas, capaz de fazer esquecer esta época, digamos... medonha, ou...

... ou o clube entrará em falência face a exagerado fulgor despesista.

Presumo que esteja a ser divertido de seguir por um benfiquista adepto de goleadas made in América do Sul...

Um abraço.