12 dezembro 2006

"Tu, Carolino"

Post nº 06

Chamava-se, salvo erro, Carolino. Carolino Salgado. Foi o terror da minha infância nos já longínquos anos 70. O que vou descrever aqui guardei-o só para mim durante quase 30 anos. Medo de represálias. De vendettas arquitectadas em vãos de escada. Sabe-se lá.
Carolino foi meu opositor nas meias-finais do campeonato inter-escolar de berlindes em 1979. Ele passou à final e foi campeão. Eu fiquei pelo caminho. Ele hoje é director de uma multinacional. Eu não sou ninguém. Chegou a altura de o desmascarar e recolocar a história em trilhos correctos.
Carolino Salgado usou berlindes artilhados com chumbinhos de caçadeira. Carolino desviava os berlindes com os pés. Subornou os professores, as contínuas e o Miguel Zarolho no intervalo. Pior... muito pior, atentem bem: Carolino ameaçou que me partia os dentes se eu fizesse uma das minhas jogadas galácticas.
Acrescento ainda que Carolino, filho de um ex-GNR alcoólico e de uma vendedora de torrão de Alicante, jogava sempre com ranho a pingar do nariz, o que me parecia além de tóxico, absolutamente ilegal à luz das regras da Federação Internacional de Berlindagem.
Essa tarde de 1979 determinou a minha triste vida, à margem da fama e do cadeirão da multinacional que é ocupado pelo cu de alguém que deveria estar preso.
Que este blog seja encarado como um livro e estas denúncias como sérias.
Assim sendo, espero que o Ministério Público averigue tudo isto.
Estou disponível para colaborar com a justiça.
Obrigado.

2 comentários:

cata disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
#1 disse...

Belo post ;)

O Carolino ficará instantaneamente rico graças à multinacional, mas qualquer dia alguém manda o Carolino da cadeira abaixo. Claro que a versão imprensa será: "Carolino, não aguentou a pressão e mandou-se da cadeira abaixo!"

Abr e continuação de bons posts